Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


"Persépolis" de Marjane Satrapi - Opinião

por Tânia Tanocas, em 01.05.17

Quarta leitura do desafio #livrosnoecra

28.jpg

Opinião:

Só me apetece dizer bem alto :"Lêem este livro assim que puderem!!!", apetece-me também retomar novamente a leitura.

Há muito que desejava este livro, o mês passado chegou cá a casa e nem chegou a ir para a pilha dos livros para ler, comecei a folhear, a ler algumas cenas e não mais o larguei.

 

Ri, chorei, revoltei-me, tive piedade, uma mistura de sentimentos que quando estava quase a chegar ao fim, já andava a ler duas a três cenas por dia para que ele durasse mais tempo.

Narjane Satrapi é a autora e protagonista desta BD (que agora tem um nome mais pomposo, Graphic Novel), a história (não ficção) desenrola-se em dois momentos, mas eu acho que três momentos teriam sido o mais adequado, por isso vou dar-vos a conhecer esses três momentos.

 

Primeira Parte - A autora vai descrever a infância vivida no Irão em plena revolução islâmica, guerra com o Iraque e algum contexto histórico daquele país.
Segunda Parte - Acompanhamos as dificuldades culturais (e não só) de Narjane quando vai viver para outro país
Terceira Parte - A determinada altura Narjane regressa às suas origens, mas o país já não é igual àquele que deixou antes de partir.

 

Este livro é muito mais do que a "biografia" de Marjane, conta-nos a história de uma civilização (o próprio título é uma referência) que sempre foi fustigada pela cobiça da sua riqueza (petróleo) e que actualmente é conhecido e rotulado de impulsionador de fanatismos, terroristas e fundamentalistas, mas Marjane encaminha-nos por uma história em que o seu objectivo é desmistificar a imagem negativa do seu povo.

 

Não quer isso dizer que a autora defenda os fanáticos religiosos e extremistas, antes pelo contrário, descendente de Persas, não reza a Alá, os seus pais são uns revolucionários que incutiram na filha valores que em nada se revêm no actual modelo de vida iraniano, mas o principal objectivo deste livro é dar-nos a conhecer de que o povo sempre se uniu para poder viver em liberdade e que jamais devem ser esquecidos, tal como aqueles que ainda lutam e nunca deixaram o seu lar.

 

Numa época em que fazem cada vez mais muros, fecham fronteiras, impedem os fustigado de procurar alguma paz e reconforto, também é imprescindível ler este livro para compreender o que passam os refugiados, exilados, quando têm de se adaptar a uma nova cultura, novos costumes, como encaram e quais as consequências da xenofobia e racismo daqueles que gozam de um bom conforto.

 

"Podemos perdoar, mas não devemos nunca esquecer."

 

Trailer da adaptação (2007):

Já estive para ver a adaptação, mas decidi adiar porque queria mesmo ler o livro antes de ver o filme. E não me arrependi, neste caso, acho que vou gostar do filme, mas sem sombras de dúvidas de que esta preciosidade já entrou para os meus favoritos. Além do roteiro, o filme tem a direcção da própria autora. 

 

side_marjane-satrapi.jpg

 

Marjane Satrapi nasceu em Rasht, no Irão, em 1969, e actualmente vive em Paris. Estudou no liceu francês de Teerão, onde passou a sua infância. Bisneta de um imperador do país, teve uma educação que combinou a tradição da cultura persa com valores ocidentais e de esquerda.

 

Aos catorze anos, partiu para a Áustria, e depois retornou ao Irão para estudar belas-artes. Estabelecida em França como autora e ilustradora,

 

Marjane conquistou a fama mundial com Persépolis, obra que ganhou alguns dos mais prestigiados prémios deste género literário.

 

As ilustrações de Marjane são publicadas em revistas e jornais de todo o mundo, incluindo The New Yorker e The New York Times.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:31


2 comentários

Imagem de perfil

De Daniela a 06.05.2017 às 19:26

Olá! Vou fazer um post no blog ainda este fim de semana com todos os textos que foram publicados :)

Beijinhos*
Imagem de perfil

De Tânia Tanocas a 15.05.2017 às 04:01

Irei espreitar já de seguida
Beijokas

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Próxima Opinião...


Estou a Ler...



Goodreads

2017 Reading Challenge
Tânia Tanocas Já leu 39 livros... A meta é de 50 livros...
hide




Mensagens